quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Heitor de Pedra Azul, Saulo Laranjeira)






Poizé...
A minha bisavo Adelaide
era india da região de Itaquara/Jaguaquara/Santo Antônio de Jesus na Bahia.
Ela teve e criou 16 filhos.
Todos foram grande personalidades
na vida do Brasil!
O marido dela era também mestiço de índos
da Bahia.
Este povo cruzou com os mestiços
dos Timbira/Tapuias de Pedra Azul.
Eu sou fruto desta mistura.
Beijões
Heitor

O recado, de Heitor de Pedra Azul,atualmente mora na França e lida com vinicultura, além de fazer seus shows e publicar seus livros.

Está em tounée pelo Brasil, com grande sucesso, em Belo Horizonte apresentou-se no Jequitibar e no Fundo do Baú.O show "Cidadãos do Mundo", ao qual não pude assistir, soube pelos aldravistas de Mariana e por Regina Mello, Presidente do MUNAp, que foi muito bom.Na última vez que me man dou um e-mail, estava em trânsito, a caminho da Bahia.
A cidade de Pedra azul, é Minas, é conhecida pelas tradições culturarias e muitos se seus filhos adotam seu nome, tal e qual Paulinho Pedra Azul, Heitor de Pedra Azul.

Entrevista:Heitor de Pedra Azul
Entrevista com Heitor de Pedra Azulheitordepedrazul


A:Fichário:nome, estado civil,

formação, e tudo mais que achar

relevante e quiser contar...

* - Eu me chamo Heitor Henrique Almeida Araujo

Nasci em Belo Horizonte porque o médico/amigo da familia e de

minha mãe, Dr. Henrique Horta,morava/trabalhava em BH, no

Hospital Vera Cruz, mas sou de Pedra Azul - MG.

Lá vivi a minha infância e um bom pedaço da adolescência.

Fui estudar no Rio de Janeiro aos 15 anos de idade.Lá fiz o curso clássico e estudei Direito na Faculdade de Direito da Universidade Federal Fluminense, Niteroi - atravessei a Baia de Guanabara durante alguns anos - mas não sou advogado. Sou artista mesmo e
vaqueiro.

Estudei música no Conservatório Brasileiro de Música e na Escola

de Musica Lorenzo Fernandes,RJ: canto com o professor Marçal

Romero e violão com o professor Juarez Maia de Carvalho (dois

grandes heróis!). Ah! E houve a Maria Olivia e a Maria Ivanira,

também.

Estudei música também na Escola Villa-Lôbos: ritmos e sons, um

pouco de teoria, mas sou leigo,auto-didata.

O meu grande mestre sempre foi o Povo, a cultura popular.

Sou autor/professor/ator e diretor de teatro. Aprendi muito com a

minha mãe Mariade de Almeida e com o povo. O resto eu desenvolvi

na base da pesquisa e da prática.O lado publicitário veio com a

espontaneidade da expressão nativa e a necessidade de divulgar

o meu trabalho e todos os trabalhos que amo. Divulgo sempre a Paz, o Amor, a Amizade, a Justiça Social...

Sou matuto nato. Herdei do meu sangue Índio o respeito e amor
pela Natureza. Adoro os Índios!

Quero um Brasil, um mundo mais Índio!

Assim, só assim teremos paz,amor e justiça social... ar para

respirar, água e todos os alimentos sadios.

Já fui casado. Tenho 3 filhos:

Heitor mora em Salvador (1991),é bahiano de Salvador.Camille e Marie moram na França, são franco-brasileiras, sendo que Marie nasceu na França, em Troyes 1994; e Camille nasceu em Pedra Azul,
1996.

Eu morei no Rio de Janeiro de 68a 85. Em Salvador, de 85 a 92.

Em Pedra Azul de 53 a 68 e de 92 a 99, passei por Belo Horizonte

em 2000 (na casa de Beth e Giba) antes de vir para a França. Moro

na França desde 2000.

Aqui morei em Les Riceys, Troyes e hoje em Saint Julien les Villas,

colada em Troyes. Região de Champagne Ardene,departamento do Aube en Champagne.

Aqui eu sou artista e agricultor.

Trabalho na vinha de Champagne.Sim, ajudo a fazer os vinhos e

champagnes...

Adoro! E conheço-os bem. Sou farejador por natureza: Indio.

Vivo de música, mas estou ressucitando a minha literatura.

Editei 11 livro no Brasil, poesias,contos, teatro, estudos

genealógicos. Vendi 210 000! Todos independentes.

Estou com um livro numa boa editora francesa. Sairáem 2008.

Sou da luta!

Perguntas:(Clevane/Heitor)


1)Qual a razão de seu nome artístico?Você é parente de Paulinho Pedra Azul?
Quando eu estudava no Seminário Diocesano de Araçuai (1964/65), a turma tinha a mania de associar os nomes dos colegas às cidades de onde eles vinham: Zé de Medina, Luizinho de Almenara, João Galã e Compadre Silvio de Rubim, Heitor de Pedra Azul... e por aí.
Quando fui para o Rio, um produtor me disse que Heitor de Pedra Azul deveria ser o meu nome artístico! Foi o Carlinhos, lá na casa do Antônio Krisna, o flautista/contrabaixista que tocava comigo na época.
O Paulinho Pedra Azul é Meu Irmão de Musica desde nenêm!
A gente brincava de tocar violão e de compor. Chegamos a ensaiar "A Festa no Infinito" de compadre Toju, meu colega de Seminário, de maneira bem teatral... mas os meninos disseram que iam jogar tomates em nós. Aí a gente não se apresentou no "Círculo de Estudos do GPA". Mas continuamos a desenvolver o nosso trabalho.
Ele, Paulinho, foi pra São Paulo mais tarde e eu ja morava no Rio.
Adoro o trabalho dele. E dele também!
Paulinho é uma pessoa séria, bem humorada, amiga, um Caboclo pedrazulense exemplar! Com muita musica e literatura!

2)Desde quando se definiu um artista?
- Não me defini artista. A Vida me fez assim.

A família aceitou bem sua vocação?
- A minha familia é de artistas. Todos têm dom da arte, mesmo aqueles que não a praticam profissionalmente.


Qual é seu estilo e repertório?
- Eu sou um pedaço da cultura popular brasileira, melhor: sou pedaço dos nossos pedaços. Vivi e vivo dentro dela sempre, onde estiver. Tenho, dos rítmos do Brasil, um pouco de cada, um tudo de tudo, um sempre de sempre. O meu repertório é composto de cores, ritmos, melodias, harmonias, poesias, histórias... do Brasil, principalmente; e um pouco do mundo. Canto o que vivi e vivo: as minhas músicas.
Tenho músicas com Claudio Cartier, Irinéa Maria Ribeiro, Célia Vaz, Cyro, Paulin Feital, Guto Cruz e outros.


O que agrada mais na França?
- A França é a minha segunda pátria. Aqui a variedade de gentes, culturas, artes, politicas e de tudo é uma coisa bem universal.
O respeito que eles têm pelo meu trabalho me dá a visão e a força para acreditar muito mais em nós mesmo, os Brasileiros, na nossa Cultura. ... É como se eu estivesse num canto observando as mutações da vida no Brasil em relação às do mundo e as mutações do mundo em relação ao Brasil e a ele mesmo.
Aqui o valor da cultura é mais maduro. No Brasil, nós precisamos, com urgência, afastar, de vez, todos os males que a americanização nos impôs com a ditadura militar e, que hoje ainda continuam a nos massacrar com a tal malfadada hedionda globalização.
Nós temos que recuperar, urgente! a nossa cultura popular. Valorizar o nosso Chão-Brasil. Respeitar e dar aos nossos Irmãos Índios mais espaços, mais tudo o que eles têm direito. Dar, verdadeiramente, prioridade de Vida.
Pois só assim amadureceremos a nossa cultura de verdade e a nós mesmo também.
A França já é isto. E a globalização está aqui, também, tentando destruir estas raízes, mas a consciêcia do povo é mais madura.

3)Possui amigos e contatos em seu estado,Minas Gerais?
- Na verdade, eu não tenho público. Tenho Amigos. Em MG só quem não me conhece é Sêu Alvino Suréco, que morreu de tanto me conhecer... o resto, vix! kkkkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!!!!
Não so tenho contactos, como sou um eterno contacto.
Ja te falei sobre a Associação Internacional dos Amigos de Heitor de Pedra Azul, né? Poizé...
Na Bahia então, vix! Pergunta pro Isaacquin e pro Ernane... você conhece o Bule Bule? Poizé... Heitor é amigo dele.

4)Como você programou sua vinda ao Brasil, em dezembro?

- Eu fiquei de 2000 até dezembro de 2003 sem ir ao Brasil.
Ai, em 2003, fizemos uma pequena tournée: Rio/BH/Uberlândia/Pedra Azul/Vitoria da Conquista/Salvador...
No anos passado nós pisamos na pisada da chinela e acrescentamos Araxá.
Este ano o trem tá puxando mais terras: Rio/BH/Araxá/Vale do Jequi/Vit.Conquista/Aracaju/Salvador... tem algumas cidades que eu acho que vão ficar pra proxima, pois o tempo é curto.
Para mim, o importante é estar entre Nós!

5)Por que você decidiu sair do País(Brasil)?/De que forma chegou à França?Gosta de morar aí?

Bom. Eu fui casado com uma francesa. Temos 2 filhas. Já citei-as acima. Em 2000 ela me convidou pra vir morar aqui. E ai? Como é que eu iria me sentir longe das meninas, né?
Mas o que me puxou muito, também, foi o campo de estudos, o lado cultural, a nova experiência de vida, o conhecimento do Brasil visto de outros ângulos e o conhecimento do mundo mesmo.
Muitos fatos culturais como a agricultura, a pecuária, o artesanato, a arte, a antropologia, o lado sócio-político-econômico, a literatura, a música... Muitas coisas me passaram sempre pela cabeça... o proprio conhecimento da civilização ocidental. Tudo veio a encher as minhas bruacas para resolver questões (quase sem soluções) sôbre a nossa existência e buscar um conhecimento maior do que somos hoje e porque assim somos.
Daí os meus estudos contínuos

6)Fale de seu projeto Sertão et Mer.O que motivou a escolha do nome?

- Quando eu cheguei à França, tive que procurar serviço, né? "Poizé"...
Trabalhei nas vinhas, botei as mãos na terra daqui e comecei sentir as diferentes pulsações.
Foi ai que eu entrei pro quarto e comecei a "futucar" a minha vida.
Todas as passagens e paisagens vieram naturalmente, como se lá elas estivessem para eu pintar o meu quadro de existência.
Veio o meu Sertão e veio o meu Litoral.
O nosso Chão Brasil ali, diante da minha consciência e solidão.
Foi ai que eu comecei a puxar o barco... cantando feito cantadeira de carro-de-bois, fui armando o repertório para fazer frente ao povo do primeiro mundo.
O fiz sem medo. Me disse: se eles vão gostar de mim ou não, terá que ser com o que eu sou. E eu sou este granito de Pedra Azul que pisou areias das praias do Brasil. Sou vaqueiro/pescador assumido. Tenho o gôsto do Sertão e o cheiro do Mar...
Dai nasceu o "Concerto Brasil Sertão e Mar".
Com este escudo venho pecorrendo o mundo desde o ano 2000.
A "Associação dos Amigos de Heitor "ja existia desde 69. Só que esta não tem papel. Faltava fazer uma associação que nos desse a legalidade para colocarmos as nossas idéias em práticas conforme as leis daqui. Ai fundamos, este ano, a Associação Brésil Sertão et Mer com a finalidade de facilitar o intercâmbio cultural, artístico, educativo, turístico, esportivo, humanitário... entre o Brasil e a França e o mundo.
Ja inauguramos com alguns shows e vamos aí discutir com a turma mais coisas para tentarmos colocar um festival de artes e cultura em 2008.
Teremos trabalhos.


7)Apesar de conhecer muitas das prováveis respostas, vou partir do princípio de que leitores são curiosos e então, perguntarei "de um tudo":
Que instrumentos toca,v. compõe, canta?Quando se sente mais inspirado?Fale de sua arte.

- Eu toco mal violão. Mas adoro!
A minha música é muito simples. Ela nasce como eu respiro.
A inspiração existe. E, às vêzes, me surpreende: quando eu penso que nada escrevi, até que escrevi um pouco. Mas, às vêzes, ela morde bem! Ai eu me sinto um compositor/poeta de verdade. Mas tudo dentro do meu tamanho: pequeno.
A parte literária e teatral é a mesma coisa: vou inventando e escrevendo. Vou lembrando e inventando em cima.
Ah! Eu sou surdo. Verdade. Por isto a minha voz é meio assim... e eu devo ao professor Marçal Romero o pouco que canto. Ao professor Juarez Maia de Carvalho o pouco que toco.
Mas é como dançar: eu danço porque gosto.
Assim como as Mulheres... eu as Amo muito! (ja tô rindo do "como" que coloquei ai...kkkkkkkkkkk...!!! Mas deixa... de todos os jeitos é com muito Amor mesmo).

8)O show Cigar (Soirèe ), gerou alguma polêmica, tipo acharem ser uma apologia ao fumo?Vc explicou isso em nota a posteiori.Quer falar a respeito?

- A Soirée Cigar foi um encontro entre pessoas que adoram fumar charutos e discutir sôbre o assunto. Eles têm uma associação de gentes assim. Charuto é o fumo que estraga menos a saúde: não se traga, não se fuma sempre, custa caro e tudo é uma questão de gpsto mesmo.
A soirée foi ótima! Muito divertida e fumacenta. Valeu!
Eu toquei com o pianista Alain Vuillot, que é professor de filosofia.
Foi muito bom!

9)No Brasil não há espaço para bons músicos, continua a norma de se ter de ficar famoso fora e depois encontrar acolhimento aqui ou isso mudou?Tem informações a respeito?

- O Brasil é o pais da música! Espaços e tempos! O Brasil teria que ser só dos artistas! Fora, imperialistas!

Os músicos brasileiro são respeitados e adorados no mundo todo.

O mercado de trabalho no Brasil é bom pra quem é sério e trabalhador. Mas precisamos melhorar mais. Respeitar mais os nossos artista de verdade. Não é a fama que faz o artista, mas a sua Arte e honestidade.

A questão do trabalho, da gravação sempre existiu porque as gravadora sempre foram estrangeiras e mantiveram a palavra final.
Uma coisa bem imperialista/elitista, normas ditadas pela matriz.
Mas aqui isto existe também. Só que, quando se é bom aqui, eles correm pra cima e jogam no mercado. Bom lembrar que só tem feras: o poder do dinheiro existe e destrói muito.... é uma merda!

Com a globalização o trem tá piorando, mas, de outro lado, o lado da liberdade de criar e de divulgar as coisas vão seguindo.
Existem novos veículos de comunicação. A internet está aqui mesmo.
Agora você pode escolher o que quer escutar, ou ver, buscando na tela do computador. Pena que a bandidagem está em tudo. Mas temos que lutar contra ela onde ela estiver!
Vamos ver onde vai dar, né?
O importante é continuarmos a luta!

Eu, particularmente, prefiro me apresentar ao vivo e estar lado a lado com todos sempre.
Detesto estrelismo e gosto do diálogo direto. Para mim o importante é sempre o calor humano. Não dou valor a esnobismo. Vivo misturado com vaqueiros, agricultores, gentes da terra mesmo. Ou seja: vivo misturado comigo mesmo, conosco.

Sarava!
Bài kexà!
heitordepedrazul@yahoo.fr
http://www.dailymotion.com/heitorpedrazul
http://www.myspace.com/heitorpedrazul


10)Deixe aqui seus e-mail, links, endereços para vídeos, etc, uma mensagem para os brasileiros e muito obrigada por responder a essas questões.

Araujo Heitor

Clique no link para olhar: http://www.dailymotion.com/heitordepedrazul/video/x2xw6c_esse-ouro_music

Click on the link to go to heitordepedrazul\'s page : http://www.dailymotion.com/heitordepedrazul



Clevane

(Publicada, originalmente em http://www.clevanepessoa.net/blog.php)


A foto de Pedra azulk é de outros dos seus filhos artistas:

A foto de Pedra Azul é do consagrado artista Saulo Laranjeira.Em seu bar ("Arrumação"), reduto de intelectuais e boêmios, , na capital mineira, foi lançado, pela PLURARTS, do Poeta Wagner Torres, meu livro (o primeiro de Poesia:Sombras feitas de Luz)


http://www.saulolaranjeira.com.br/imagens/saulo/foto_saulo_site47.jpg&im


SAULO LARANJEIRA

Carlitos pós-moderno, mago da emoção e do riso, artista brasileiro. Sucesso de público e crítica, Saulo Laranjeira traz os cantos do Brasil talhados na palma da sua alma. A simplicidade do seu povo traz em seu coração curupira. Ave Rara, Homem-Show, Artista Inteiro.



Os Vários Saulos

"Saulo Laranjeira é como Minas; são vários... Tem um que é cantor, outro que é ator, um que faz humor, tem o compositor, o poeta, o cantador; todos mágicos, magos e magníficos...
Saulo Laranjeira é assim, muitos, edificados em apenas um.
Nascido em Pedra Azul, no Vale do Jequitinhonha, viveu no Rio de Janeiro, foi visto em São Paulo e se encontrou em Belo Horizonte. Gravou o seu primeiro disco em 1981. Antes fez teatro Brasil afora e shows, muitos shows. Apareceu aos olhos do Brasil no extinto programa Som Brasil, da Rede Globo. Anos depois criou um programa todinho para ele e para as coisas que ele já havia garimpado no Brasil inteiro, era o “Arrumação”, um programa que vive no coração de todos os mineiros.
Em Belo Horizonte fundou o espaço cultural “Arrumação” um bar & café que tem no cardápio bate-papo e muita cultura. Divisando sua carreira em muita correria e com seus múltiplos personagens, faz ainda teatro, grava semanalmente o programa de humor “A praça é nossa”, no SBT, grava discos, faz peças de teatro junto com Arnaud Rodrigues, comerciais para tevê, e leva a cultura brasileira para o interior do Brasil com sua Caravana Arrumação, uma carreta equipada com som, palco e luz."

Saulo Laranjeira é homem de Televisão, agrada muito em seu programa, Arrumação(que também batiza seu bar, quase em frente à Tv Alterosa), na Assis Chateaubriand, BH/MG/Brasil)

(Página inicial do site pessoal do artista - foto , em camisa amarela, acima)

2 comentários:

Ciro disse...

Heitor, grande artista da nossa Pedra Azul. Quem deixa este comentário é o filho de seu amigo Peteu. Abraços.

Thô disse...

Sarava, Ciro Peteuzinho!
Abraços
Thô